quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Pardais Carnívoros



O homem encontrava-se encostado a um poste de luz, quando um bando de pardais o amarrou com fios resistentes de fibra de sisal.
     Com uma rapidez inominável, o bando volteou os fios ao poste, imobilizando o cidadão. Em seguida puseram-se a bicá-lo. Primeiro devoraram seus pés. E o homem respirava. Em seguida as pernas e os braços.
     Aos poucos foi se formando uma multidão de pessoas, que observavam o espetáculo. 
     Enquanto bicavam o corpo do homem, os pardais cantavam, atraindo mais pardais. O homem continuava respirando, mesmo quando os pardais começaram a abrir sua barriga com bicadas cada vez mais famintas e ferozes. A sua respiração enfraquecia. A multidão observava com o misto de prazer e compaixão.
     Mesmo depois de ter o olho perfurado e comido, o homem continuava respirando, mas baixinho.
     Quando se imaginava o homem em seus últimos estertores, pois os pardais arrancaram-lhe o coração e fugiram com ele no bico, o homem se desvencilhou dos fios que o prendia e caminhou silenciosamente pelas ruas com destino a...

J Estanislau Filho

17 comentários:

  1. Surreal...
    Real...
    Instigante...
    O outro lado da poesia, do poeta, da vida...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta foi a ideia do texto, Leia. Obrigado pela leitura. Volte sempre.

      Excluir
  2. Nossa! Quanta criatividade. Parabéns.
    Tião

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Quanta criatividade Parabéns
    Abraço
    Tião

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Será um pesadelo, Suzana, leitora amiga e fiel parceira de etílicos.

      Excluir
  5. Achei sim!Maria Luiza Bremide

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, por favor, escreva o que sentiu. De que forma te chocou...

      Excluir
  6. Lembrou-me um pouco o filme OS PÁSSAROS, de Alfred H. Adorei, muito interessante seu relato.

    ResponderExcluir
  7. Intrigante, cheio de criatividade. Muito bom seu texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom ler seu comentário Calikcia. Volte sempre. Abraço.

      Excluir