sexta-feira, 17 de junho de 2016

de quem é a culpa?

Poema-reflexão

foi cruelmente surrado na infância
por motivos fúteis
bloqueou a consciência.

ao ser estuprado chorou
e levou cuspe no rosto
ergueu as calças e se calou

alguém ateou fogo no pasto
e para se ter uma ideia
levou surra por ação alheia

viver não lhe dava sorte
o que mais doía não era o açoite
era sentir-se boi de corte

sofreu nas mãos da polícia
levou chutes de botas
por pouco o crime o alicia

a adolescência foi perda total
dessa forma adulto se mostra
para o convívio social

pensa pensa como pode
viver uma vida sem ódio
é na velhice que ele explode

vai apodrecer nas grades
foi pego à luz do dia
praticando pedofilia.




LIVRO, UM PRESENTE INTELIGENTE!!!









J Estanislau Filho






Poema que integra o livro Palavras de Amor - 2010 - Esgotado. É possível encontrá-lo em www.biblioteca24horas.com ou no site da Estante Virtual e ainda na Livraria Cultura.


Está no ar o meu último lançamento: A Moça do Violoncelo (contos de suspense e erotismo) - Estrelas (poesias). São dois livros em um, duas capas com orelhas em papel laminado. São 176 páginas de prosa e verso inéditos. Pela merreca de R$25,00 com frete incluso. Entre em contato e adquira o seu. Edição limitada.

6 comentários:

  1. ...como o meu pai dizia: Filho feio não tem pai!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí, Marli. Grato pela presença. És sempre bem-vinda.

      Excluir
  2. Interessantíssimo poema de uma adolescência não vivida, perdida e culpada, mesmo não tendo culpa alguma. Genial, companheiro.

    ResponderExcluir
  3. Tudo na vida tem uma explicação. Mesmo os comportamentos mais asquerosos. Eis uma poesia forte e inteligente. Magnífica, Stan. Parabéns. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pela presença generosa. Seja sempre bem-vinda.

      Excluir