sexta-feira, 6 de março de 2015




                                        Janeiro
                                                                    I

                                           Hoje


     Hoje não é o primeiro dia do ano para os maias, os judeus, os árabes, os chineses e outros muitos habitantes deste mundo.
     A data foi inventada por Roma, a Roma imperial, e abençoada pela Roma vaticana, e acaba sendo um exagero dizer que a humanidade inteira celebra esse cruzar da fronteira dos anos.
     Mas uma coisa, sim, é preciso reconhecer: o tempo é bastante amável com a gente, seus passageiros fugazes, e nos dá permissão para crer que hoje pode ser o primeiro dos dias, e para querer que seja alegre como as cores de uma quitanda.

4 comentários:

  1. Interessante e profunda mensagem do autor em poucas linhas, parabéns Poeta! Abraços da Luiza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário, Luiza, Volte sempre. Abraço.

      Excluir
  2. Tenho alguns bons livros desse autor.Suas reflexões sempre me tocam pela coerência e sabedoria.Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja Edna Lopes, seu comentário! Milagre. rsrs. Abraço, volte sempre.

      Excluir