sexta-feira, 18 de julho de 2014

DESEJO

No começo era o verbo e o verbo se fez emoção
adornado em poemas de carne viva.
Desejo.
Amellie mítica
Amor e volúpia sob o véu e alma nua.
Amellie mística
Sensualidade e candura.
Menina
Mulher
Saboreava suas palavras impressas
e a via esplendidamente nua em desfile na Barra
Ipanema
Alimentando meu desejo.
Saboreava Amellie
Salivava Amellie em longas noites de insônia
enquanto um ontem aniquilava meu ser.
Sonhos que me levavam à culminância
de desejo que no desejo perdura.
Amellie mudou a forma de meu sonhar...
As noites eram degraus,
desnorteadas galerias,
invadia minhas insônias sem cerimônias,
despida de vestes,
sob o corpo diáfano a exuberância libidinosa.
Contudo coberta por uma camada fina de inquietude
à procura de calmaria.
Em noite transtornada me arrancava o coração
e o exibia à turba ensandecida.
Nas manhãs frias das paredes avermelhadas do meu quarto
prefixado em Amor e Fogo
Amellie me atira em sua rede de mármore
Vazia
Oca de mim...

Amellie se revela verdadeira, inteira:
fêmea faminta e farta de deserto.
Necessito, como Demócrito arrancar os olhos e pensar.
Fundirei as mãos ávidas em seu precioso colo.
Pele macia azeitonada.
Seios fartos onde jorra o leite e o mel.
Sorriso largo à espera do beijo
E nesse meigo declive saciarei o desejo que assalta meu sono.
J Estanislau Filho

13 comentários:

  1. Arrasou poeta! Espetacular estrutura poética! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, Alice. Seja sempre bem-vinda.

      Excluir
  2. Publicação de alta leitura, sob versos todos sensuais e desejados, das mãos do grande poeta escritor, beijos meus

    ResponderExcluir
  3. Desejos que permeiam os versos, em reverso,instigando a imaginação e acelerando o corpo. Belíssimo! beijos Stan.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alegria e uma honra ser lido por ti, parceira de letras, abraço. Volte sempre.

      Excluir
  4. Já li e reli...mais de três ou quatro vezes para absorver cada palavra, cada verso, cada pensamento entranhado nesse conto poema em história de amor. Percebo um pequeno sofrimento contido, porém o prazer de ter este sentimento dentro de si o conforta...ainda que o atormente. Ao final, pude perceber um tanto de desejo que além de estar explícito, provoca uma ação/reação da mente e do corpo. Parabéns poeta! Um abraço, Camille Simeone.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desejo que no desejo perdura, Camille. Abraço.

      Excluir
  5. Relendo-te poeta - nossa é pra reler e muitas vezes sentir o desejo aplacando a pele toda Beijos da sua leitora...

    ResponderExcluir
  6. Oi, Estan, posso dizer sem sombra de dúvidas que este é o seu poema mais bonito! Adorei! Beijos! Ádria.

    ResponderExcluir
  7. Sabe Stan, não quero comentar, só sentir, para não quebrar o encanto, o deleite, a emoção de tudo que este poema me fala. Expressão de um grande poeta! Obrigada por compartilhar mais uma vez. Abraço Olynda

    ResponderExcluir
  8. Poeta querido, versos belos que expressam desejo do corpo e da alma. Uma poesia sensual que me deixou embevecida ao lê-la. Parabéns!! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua presença aqui muito me honra Anna Lúcia. Abraço, volte sempre.

      Excluir