segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Olhar

Pelos olhos se conhece o coração das pessoas. Expressões como "fuzilou-me com os olhos"; "olhar bondoso"; "olhar assustado", etc., traduzem sentimentos e emoções. O olhar assustado do filho diante do olhar severo do pai.
     Os olhos brilham diante de uma obra de arte. Arregalamos os olhos sobre um prato saboroso e, se estamos a fim de alguém, estabelecemos contato através do flerte: olhar de desejo, olhar apaixonado.
     Os olhos fotografam belezas e horrores. Alguns dizem que as plantas secam com um mal olhado e o que os olhos vêem, o coração sente. 
    Lançando um olhar sobre o Brasil, enxergamos paisagens belas: rios, matas, pássaros, cidades com ruas limpas, praças e jardins bem cuidados, casas bonitas, crianças entrando e saindo das escolas em algazarras. São belezas.
     Porém, há o outro lado, que fere os olhos e dói o coração: ruas e estradas esburacadas, erosões, becos e corações sombrios, crianças abandonadas, gente catando comida no lixo, olhos no chão, tristes olhos no chão, a natureza sendo violada, poluição, incêndios nas matas.
     Olhar nossa casa, nossa rua, nossa cidade, o País, o mundo, o Universo: o céu , estrelado, a lua brilha!
     Olhar tudo, sem preconceito, pois o que os olhos vêem o coração sente e quando o coração sente... bem, aí é outra história.




J Estanislau Filho



Crônica que faz parte do meu livro Crônicas do Cotidiano Popular - Edição do Autor página 69 




3 comentários:

  1. Respostas
    1. Aguardo sua vista. Boas coisas te esperam. Abraço.

      Excluir
  2. Gosto demais do meu Brasil; mas ainda estamos longe de eliminar as desigualdades sociais. Não creio que isso seja obra para um governo de 4 anos, para para um projeto a longo prazo.

    ResponderExcluir