quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

O MAR







Diante da imensidão do mar e de suas águas profundas
habitadas por cavalos-marinhos estrelas-do-mar baleias
e milhões de seres desconhecidos observei minhas veias
sublevarem dentro de mim como se fossem ondas
bombeando meu coração acomodado diante de humanos
destemperados a chicotear raivosos os oceanos.

Navegar em oceanos
é mais singelo que navegar
em corações humanos.

O mar não petrifica
o ser sincero
nem fere a retina
de olhos viveiros.

Passear sobre o dorso da baleia
e cortar ondas bravias incendeia
a alma
e o coração aflito acalma.



jestanislaufilho@gmail.com 

Encontra-se à venda meu novo livro de prosa e verso A Moça do Violoncelo-Estrelas - aos interessados façam contato pelo e-mail acima.

9 comentários:

  1. O mar, misterioso e dominante... Me dá um certo pavor, ao mesmo tempo me facina.

    ResponderExcluir
  2. Me fascina o mar dos olhos teus, a dualidade...

    ResponderExcluir
  3. Boa noite poeta, o mar tem lá seus mistérios, e em seu poema, ele toma uma forma poética, bem explêndida! Adoreil, beijos da amiga Luiza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, amiga e parceira de letras. Bem-vinda.

      Excluir
  4. Obrigado Arnaldo, pela leitura e comentário.

    ResponderExcluir
  5. O mar inspirou o poeta lindamente. Adoro o mar, ele me acalma. Belíssimo, grande poeta. Beijos

    ResponderExcluir
  6. Vir ate aqui e dar de cara com o mar ,cheinho d e ondas- versos e conchinhas de letras poéticas...nadei e mergulhei poesia!!!! BRAVO POETA!!!!

    ResponderExcluir
  7. Alegria recebê-la em minha casa Conceição Castro, obrigado, volte mais vezes. Abraço.

    ResponderExcluir