terça-feira, 16 de setembro de 2014

KAIRA





O ventre germinou o fruto
           fruta macia
não se preocupa com a algaravia
              ao redor
        alheia não se alia
à desordem de emoções pré-fixadas

                         houve choro e risada
e silêncio...

Não veio do bico da cegonha
          veio das entranhas
     da mais pura inocência
    para perpetuar a espécie
espalhar e gene de seus ancestrais...

            Chegou para ficar
            amar e ser amada.
É assim que a vida segue
               na chegada
          do fruto do ventre
          na ágora de agora
         
         Que mistérios tem Kaira...


J Estanislau Filho 



Kaira, descendente de Junya Paula, poeta e amiga.

13 comentários:

  1. A foto foi muito bem escolhida...obrigada amigo! Tuas letras tornaram estes versos singelos e belos como essa "minha" bebê maravilhosa! Um beijo de agradecimento. <3 Junya

    ResponderExcluir
  2. Linda homenagem. Bem você. Parabéns Stan. Abraço Olynda

    ResponderExcluir
  3. Que Kaira seja sempre muito feliz e iniciou bem, ganhando essa poesia linda! abração,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, chica, pela visita e pelas palavras boas. Breve estarei em sua casa. Abraço.

      Excluir
  4. Quem dera já nascer com a poesia em volta! Parabéns Kaira! Parabéns Sheik!

    ResponderExcluir
  5. Versos perfeitos, nesta linda homenagem à Kaira poeta, parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Obrigado pela presença. Seja sempre bem-vinda poeta!

    ResponderExcluir
  7. Linda poesia!!

    ResponderExcluir